INTEGRALITY IN HEALTH CARE FOR THE ELDERLY: A PUBLIC HEALTH ISSUE

Authors

  • Mírian Dias Moreira e Silva Northern Military Command Medical, Brazil
  • Keidson Rodrigues de Brito IASD Paulistana Association, Brazil
  • André Dias Moreira e Silva Military Hospital of São Paulo Area, Brazil
  • Gina Andrade Abdala Adventist University os São Paulo, Brazil https://orcid.org/0000-0001-8015-0743
  • Maria Dyrce Dias Meira Adventist University os São Paulo, Brazil https://orcid.org/0000-0001-6313-4637

DOI:

https://doi.org/10.29121/granthaalayah.v8.i11.2020.2470

Keywords:

Comprehensive Health Care, Health of the Elderly, Public Health Policy, Health Promotion

Abstract

Introduction: the demands for goods and services aimed at the health needs of the elderly require a different perspective that considers the human being in all its dimensions: biopsychosocial and spiritual. Objective: to reflect on the assistance strategies that impact comprehensive care for the elderly, based on public health policies. Methodology: reflective essay that contextualizes comprehensive care for the elderly. Results: the content is presented in four sections: "Population aging in Brazil" "Public Health Policies: a brief historical recovery"; "Comprehensiveness in health care: practices and challenges" and, finally, "Training to work in the health of the elderly and communication strategies". Conclusion: it is clear that different care strategies, including verbal and non-verbal communication, contribute to greater comprehensiveness and humanization in the care of the elderly. It also appears that public health policies depend on intersectoral integration to provide care for the elderly in a holistic way.

Downloads

Download data is not yet available.

References

Simões CCS. Relações entre as alterações históricas na dinâmica demográfica brasileira e os impactos decorrentes do processo de envelhecimento da população. Rio de Janeiro: IBGE, Coordenação de População e Indicadores Sociais, 2016. p. 98-119. [Access in: 28 mai. 2018] Available in: <https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv98579.pdf>.

Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (Brasil). Instituto Brasileiro de Geografia Estatística – IBGE. Síntese de indicadores Sociais, 2015. [Access: 28 mai. 2018] Available in: <https://www.ibge.gov.br/estatisticas-novoportal/sociais/populacao/9221-sintese-de-indicadores-sociais.html?=&t=downloads>.

Borges GM, Campos MB, Silva LGC. Transição da estrutura etária no Brasil: oportunidades e desafios para as próximas décadas. In: Ervatti LR, Borges GM, Jardim AP (Org.). Mudança demográfica no Brasil no início do século XXI: Subsídios para as projeções das populações. Brasília, DF: IBGE, 2015.

Miranda GMD, Mendes ACG, Silva ALA. Envelhecimento da população no Brasil: desafios e consequências sociais atuais e futuros. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., Rio de Janeiro, v. 19, n. 3, p. 507-519, 2016. [Access: 16 ago. 2017] Available in: <http://www.scielo.br/pdf/rbgg/v19n3/1809-9823-rbgg-19-03-00507.pdf>.

Dantas IC, Pinto Junior EP, Medeiros KKAS, Souza EA. Perfil de morbimortalidade e os desafios para a atenção domiciliar do idoso brasileiro. RevistaKairósGerontol. 2017 jan./mar; 20(1):93-108. [Access: 16 ago. 2017] Available in: <https://revistas.pucsp.br/index.php/kairos/article/view/2176-901X.2017v20i1p93-108/22192>. DOI: https://doi.org/10.23925/2176-901X.2017v20i1p93-108

Santos NC, Abdala GA. Religiosidade e Qualidade de vida relacionada à saúde dos idosos em um município da Bahia, Brasil. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., 2014 dez; 17(4):795-805. DOI: https://doi.org/10.1590/1809-9823.2014.13166

Abdala GA, Kimura M, Duarte YAO, Lebrão ML, Santos B. Religiosidade e Qualidade de Vida Relacionada à Saúde do idoso. Rev Saúde Pública, 2015 set; 49:55. [Citado em: 20 ago. 2017] Available in:: <http://dx.doi.org/10.1590/S0034-8910.201504900541>.

Mendonça JMB. Políticas Públicas Para Idosos no Brasil: Análise à luz da influência das Normativas Internacionais [tese]. Brasília: Departamento de Serviço Social, Universidade de Brasília; 2015. 172f.

Huenchuan S. (ed). Envejecimiento, derechos humanos y políticas públicas. Santiago de Chile: Comisión Económica para América Latina y el Caribe (CEPAL); abril, 2009.

Brasil. Constituição (1988) Constituição da República Federativa do Brasil. 1988 Brasilia: Senado Federal; 1988. 292p.

Silva MRF, Yazbek MC. Proteção social aos idosos: concepções, diretrizes e reconhecimento de direitos na América Latina e no Brasil, R. Katál. 2014 jan./jun;17(1):102-10. DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-49802014000100011

Pinheiro R. As práticas do cotidiano na relação oferta e demanda dos serviços de saúde: um campo de estudo e construção da integralidade. In: Pinheiro R, Matos RA (org.). Os sentidos da integralidade no cuidado à saúde. Rio de Janeiro: UERJ, IMS: ABRASCO, 8ª. edição. 2009.p. 69-116.

Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica (PNAB). Brasília: Ministério da Saúde, 2012. (Série E. Legislação em Saúde).

Fertonani HP, Pires DEP, Biff D, Scherer MDA. O modelo assistencial: conceitos e desafios para a atenção básica em saúde no Brasil. Ciênc. saúde coletiva [Internet]. 2015 jun. 20(6):1869-78, jun. 2015. http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232015206.13272014 DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232015206.13272014

Brasil. Decreto nº 1.948, de 03 de Julho de 1996. Regulamenta a Lei nº 8.842, de janeiro de 1994, que dispõe sobre a Política Nacional do Idoso, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 4 jul. 1996.

Ministério da Saúde (Brasil). Portaria nº 1.395, de 10 de dezembro de 1999. In: Brasil. Política Nacional de Saúde do Idoso. Brasília, 1999. [Access: 16 ago. 2017]. Available in: <http://dtr2004.saude.gov.br/susdeaz/legislacao/arquivo/Portaria_1395_de_10_12_1999.pdf>.

Ministério da Saúde (Brasil). Portaria nº 2.528, de 19 de outubro de 2006. Aprova a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa. In: BRASIL. Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa. 2006. Available in: <http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/2528_pnspi.pdf>. Access: 24 abr. 2018.

Arantes LJ, Shimizu HE, Merchán-Hamann E. Contribuições e desafios da Estratégia Saúde da Família na Atenção Primária à Saúde no Brasil: revisão da literatura. Ciênc. saúde coletiva, [Internet] 2016 mai; 21(5):1499-509. [Access: 2 out. 2017] Available in: <http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232015215.19602015>.Acesso em: 2 mai. 2018.

Martins AB, D’Avila OP, Hilgert JB, Hugo FN. Atenção Primária a Saúde voltada as necessidades dos idosos: da teoria à prática. Ciênc. saúdecoletiva[Internet]. 2014 ago; 19(8):3403-16. [Access: 25 jul. 2018] Available in: <http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232014198.13312013>.

Campos RTO, Ferrer AL, Gama CAP, Campos GWS, Trapé TL, Dantas DV. Avaliação da qualidade do acesso na atenção primária de uma grande cidade brasileira na perspectiva dos usuários. Saúde debate [Internet]. 2014 out; 38(esp):252-64. [Access: 16 ago. 2017] Available in: <http://dx.doi.org/10.5935/0103-1104.2014S019>.

Paula GR, Souza BN, Santos LF, Barbosa MA, Brasil VV, Oliveira LMAC. Qualidade de vida para avaliação de grupos de promoção da saúde. Rev. Bras. Enferm. [Internet].2016 abr; 69(2):242-9. [Access: 16 abr. 2018] Available in: <http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2016690206i>.

Velôso TMG, Oliveira Filho P, Henriques HDB, Henriques HIB, Meira MC. Descrições sobre a velhice: a identidade terceira idade em depoimentos de idosos. Estud. Interdiscipl. Envelhec. 2017 dez; 22(30:79-97.

Aquino R, Medina MG, Nunes CA, Souza MF. Estratégia de Saúde da Família e reordenamento do sistema de serviços de saúde. In: Paim JS, Almeida-Filho N (Org.). Saúde Coletiva: teoria e prática. Rio de Janeiro: Medbook, 2014. p. 353-71.

Pellegrini Filho A, Buss PM, Esperidião MA. Promoção da Saúde e seus fundamentos: determinantes sociais da saúde, ação intersetorial e políticas saudáveis. In: Paim JS, Almeida-Filho N (Org.). Saúde coletiva: teoria e prática. Rio de Janeiro: Medbook, 2014. p. 305-26.

Ministério da Saúde (Brasil). Portaria n.198/GM, de 13 de fevereiro de 2004. Politica Nacional de Educação Permanente em Saúde como estratégia do Sistema Único de Saúde para a formação e o desenvolvimento de trabalhadores para o setor e dá outras providências. In: Brasil. Politica Nacional de Educação Permanente em Saúde. Brasília, 2004. p. 49.

Carnut L. Cuidado, integralidade e atenção primária: articulação essencial para refletir sobre o setor saúde no Brasil. Saúde debate [Internet]. 2017 dez; 41(115):1177-86. [Access: 16 ago. 2018] Available in:<http://dx.doi.org/10.1590/0103-1104201711515>.

Lima BC, Fonseca BR, Schoeler GM, Lobo HLV, Mello D, Vitarelli AMA. importância da comunicação e o cuidado com o paciente visando o letramento funcional em saúde: uma revisão bibliográfica. Rev Interdisc. Pensamento Cient., 2018; 1(4):82-89. http://dx.doi.org/10.20951/2446-6778/v4n1a10. DOI: https://doi.org/10.20951/2446-6778/v4n1a10

Moraes ENM. Atenção à saúde do Idoso: Aspectos Conceituais. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2012; 98 p.

Torres GMC, Figueiredo IDT, Cândido JAB, Pinto AGA. Comunicação não-verbal no cuidado com usuários hipertensos na Estratégia Saúde da Família. REFACS [Internet]. 2019; 7(3):284-295. http://dx.doi.org/10.18554/refacs.v7i3.3570. DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v7i3.3570

Downloads

Published

2020-12-16

How to Cite

Silva, M. D. M. e, Brito, K. R. de, Silva, A. D. M. e, ABDALA, G. A., & Meira, M. D. D. (2020). INTEGRALITY IN HEALTH CARE FOR THE ELDERLY: A PUBLIC HEALTH ISSUE. International Journal of Research -GRANTHAALAYAH, 8(11), 311–317. https://doi.org/10.29121/granthaalayah.v8.i11.2020.2470

Most read articles by the same author(s)